Você está deixando este site e será redirecionado para o site global da Interbrand.

Artigos

Naming na Música: histórias de marca e inspiração

De AC/DC a ZZ Top. Do punk ao funk. Seja qual for a playlist que toca nos seus fones de ouvido, a música inspira você todos os dias.

Aqui na Interbrand, não é diferente: da estratégia à identidade visual. Da identidade visual à identidade verbal. A música que toca em nossos fones de ouvido nos inspira a criar novos propósitos, posicionamentos, logos, ícones, mensagens e nomes.

Eles, os nomes. Listas e mais listas até chegar ao nome exato, o nome que apresentará uma marca dali pra frente. Definitivamente, criar um novo nome não é uma tarefa fácil. Exige processo, mas exige também inspiração. É atrás dessa inspiração que aumentamos o volume dos nossos fones de ouvido, todos os dias.Esse ano, nós decidimos fazer diferente. Nós decidimos que era hora de devolver toda essa inspiração para a música. E criamos o Naming na Música além do Naming na Música que você já conhece. Um tributo aos nomes de bandas que escreveram seus nomes na história da música. Nós remontamos as histórias por trás dos nomes de três bandas em uma sessão fotográfica. Pesquisamos os detalhes de cada história. Dos elementos da época até a produção do cenário, da produção do cenário até o exato figurino, do figurino até a maquiagem. Tudo isso, com uma dose de liberdade criativa e narrativa. O resultado é uma série de três pôsteres artísticos, que você pode conferir aqui embaixo.

Belle & Sebastian – Belle é um garoto de seis anos que vive com Sebastian, um cão de montanha dos Pirineus, numa aldeia nos alpes franceses. A sinopse é do livro Belle et Sébastien, da escritora francesa Cécile Aubry.O livro deu origem a uma série de televisão em plena nouvelle vague e inspirou também a banda indie Belle & Sebastian. Por trás das câmeras, existe ainda o boato de que o nome era o apelido carinhoso entre o vocalista Stuart Murdoch e Isobel, ex-namorada e ex-integrante da banda. Triste fim.

AC/DC – Pacto com o demônio? Quem olha os chifres e as letras quentes do AC/DC pode até pensar que sim. Alguns chegaram a conspirar que o nome significaria “anticristos/filhos do diabo”, em inglês. A verdade é muito mais banal, mas não menos eletrizante.

AC/DC é a sigla para “corrente alternada/corrente contínua”, e a ideia veio, acredite, do cabo de energia da máquina de costura da irmã dos guitarristas Malcolm e Angus Young. Era Margaret Young quem costurava os clássicos uniformes da banda. Nem o diabo acreditaria.

Franz Ferdinand – O arquiduque Francisco Ferdinando viajava com sua esposa, Sofia, em um carro oficial do Império Austro-Húngaro quando uma bala atingiu seu pescoço. O atentado iniciou a I Guerra Mundial, mas também deu origem ao nome da banda escocesa Franz Ferdinand. A ideia, porém, não surgiu dos livros de história. Alex Kapranos e seus amigos assistiam a um evento de turfe quando viram o nome “Franz Ferdinand” em um dos cavalos. Foi essa também a aposta dos músicos para o nome da banda. E que comece a guerra, ou melhor, o show.

Autores

Consultor de Identidade Verbal